Realização: Masaki Kobayashi

Ano: 1964. Duração: 59’

Hoichi, o sem orelhas é uma das quatro histórias que compõem Kwaidan, de Masaki Kobayashi, adaptadas de contos de Lafcadio Hearn, que por sua vez se situam na tradição japonesa dos contos de terror.

Hoichi é um jovem cego, noviço de um mosteiro budista, que se distingue pela forma como toca biwa e canta lendas e histórias antigas do Japão. A extraordinária mestria do canto em que evoca e recria a batalha de Dan-no-ura, ocorrida há 700 anos e que conduziu à morte do clã Heike, provoca o regresso dos fantasmas dos guerreiros que então sucumbiram. O comprometimento de Hoichi com os fantasmas que só encontram paz no seu canto torna-se incompatível com os seus deveres na comunidade religiosa e conduz o jovem artista a um processo de sofrimento insuportável.

Para contar a história, Kobayashi estabelece um diálogo de extraordinária beleza com outras artes, como a música, a literatura, a pintura e o teatro, oferecendo-nos aquela que é, talvez, a mais bela representação de uma batalha em toda a história do cinema.