Ciclo da Música

 

18 de Julho, 3.ª feira

21:00 – Anfiteatro Colina de Camões, Quinta das Lágrimas
Custo: € 20

 

“Dessa Vez”

Adriana Calcanhotto

 

Adriana Calcanhotto, voz e guitarra

Gabriel Muzak, guitarra

  

 

NOTAS AO PROGRAMA

 

Durante a sua residência de um semestre lectivo em Coimbra, Adriana Calcanhotto, além das masterclasses, conferências e workshops a que se dedicou, teve também aulas de guitarra eléctrica “para não enferrujar de todo”. Escolheu como professor Gabriel Muzak, compositor e guitarrista carioca actualmente a viver em Lisboa. Ele participou nas aulas na Universidade tocando cantigas de trovadores medievais como D. Dinis e Arnaut Daniel, poemas de Adília Lopes musicados pela compositora durante a residência coimbrã e alguns clássicos do cancioneiro brasileiro.

 

Para o Festival das Artes, Adriana Calcanhotto, acompanhada por Gabriel, apresenta – num alinhamento inédito – algumas dessas músicas: cantigas de trovadores, poemas musicados, canções novas escritas em Portugal e os sucessos incontornáveis da sua trajectória musical como “Fico assim sem você “, “Vambora” e “Esquadros”.

 

 

BIOGRAFIAS

 

Adriana Calcanhotto

Adriana Calcanhotto iniciou o seu percurso artístico em meados da década de 80 na sua cidade natal, Porto Alegre, no sul do Brasil. A sua discografia começou com “Enguiço” (1990), com o qual obteve o Prémio Sharp de Revelação Feminina. Seguiram-se diversos álbuns: “Senhas” (1992); “A Fábrica do Poema” (1994); “Maritmo”, gravado em 1998, o primeiro título de uma trilogia com referências explícitas ao mar e que conta iguamente com “Maré” (2008) e “Olhos de Onda” (2014); “Público” (2000); “Cantada” (2002); “O Micróbio do Samba” (2011); “Olhos de Onda” (2014) e “Loucura” (2015), com o qual ganhou em 2016 o Prémio da Música Brasileira na categoria Melhor DVD.

 

Em 2004 criou o heterónimo infantil Adriana Partimpim, cujo projecto recebeu o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Infantil, seguido de “Dois” (2009) e “Tlês” (2012). As músicas “Uns versos” e “Âmbar” foram gravadas por Maria Bethânia no álbum baptizado pela segunda canção. Depois disso, foi interpretada por artistas como Gal Costa, Ney Matogrosso, Marisa Monte, Simone, Belchior, Los Hermanos, Teresa Cristina, Leila Pinheiro e Ed Motta.

 

Durante a digressão portuguesa do álbum “Maré”, Adriana Calcanhotto escreveu “Saga Lusa – O relato de uma viagem”. Em Dezembro de 2015 deu um recital de poesia portuguesa e brasileira na Biblioteca Joanina, com Arthur Nestrovski, sendo nomeada Embaixadora da Universidade de Coimbra. A parceria com a Universidade estreitou-se ainda mais de Fevereiro a Julho de 2017, com uma residência artística durante a qual leccionou sobre poesia portuguesa e brasileira, trovadores provençais e galegos, a invenção da língua portuguesa e a canção popular do Brasil. O presente concerto encerra a estada de Adriana Calcanhotto na cidade de Coimbra.

 

Gabriel Muzak

O guitarrista e compositor Gabriel Muzak integrou algumas bandas importantes da cena musical do Rio de Janeiro desde os anos 90, tendo tocado com nomes como Wilson das Neves, Bnegão, Otto, entre outros. Distingue-se também como compositor de bandas sonoras para cinema. A sua principal marca é a mistura de diferentes estilos e culturas musicais nos seus trabalhos.